terça-feira, 21 de setembro de 2010

O Poder da Oratória para Estudantes de Direito




       Aristóteles dizia que somente o homem, entre todos os animais, possui o dom da palavra; a voz indica tão só dor e prazer, e por essa razão não foi outrogada aos outros animais. A palavra, contudo, tem a finalidade de fazer entender o que é útil ou prejudicial, o que é justo e injusto.


      A palavra exerce extraordinário poder. É o mecanismo básico que, agindo nos hemisférios cerebrais, ajusta o se humano ao meio ambiente e à convivência social: condiciona, provoca reações, induz, seduz, motiva, sugestiona, hipnotiza, integra, harmoniza, dá segurança etc...

     Dificilmente um advogado ficaria interessado em dominar a oratória se não estivesse consciente dos benefícios que teria em sua carreira , dedicando ao aprendizado e ao aperfeiçoamento da arte de falar bem em público.

     A imagem de um advogado é o seu trabalho, e a oratória é a parte mais importante que ainda perdura sobre a qualidade como profissional do direito. Quem os vê assomando a tribuna, ou tomando a palavra em um tribunal, ou perorando em uma mesa de negociação, tem sempre a expectativa de uma comunicação eloquente e arrebatadora.

     O tema aqui proposto deixa bem claro que não há alternativa, pois para se sair bem no exercício da advocacia, uma das condições essenciais é saber falar bem. Trata-se de uma habilidade tão importante que, sem ela, você não conseguirá valorizar tudo o que aprendeu estudando ou trabalhando. O bom estudante deve saber o conteúdo que estuda e principalmente saber transmiti-lo de uma forma precisa seja quando tácita ou expressa.

    A boa comunicação deverá acompanha-lo em todas as etapas importantes da vida. As faculdades de Direito cada vez mais exigem que os alunos apresentem oralmente seus trabalhos, propiciando o seu desenvolvimento e articulação da oratória na vida acadêmica. Para advogados bem-sucedidos, a profissão adquire novos desafios, às vezes até distantes da área técnica do Direito.

     Vale ressalta também que a comunicação não só será exigida na vida profissional, a convivência social também vai exigir que você fale bem. Quando nos relacionamos com pessoas que sabem conversar, contar histórias interessantes, sentimos prazer em estar com elas, e o tempo passa sem que ninguém olhe para o relógio. Ao contrário, quando as pessoas são muito quietas e ficam em volta da mesa, uma olhando para a cara da outra sem saber o que dizer, é duro de aguentar.

      Os atributos mais importantes para se dominar a oratória são: 1) a credibilidade; 2) a voz; 3) o vocabulário; 4) a expressão corporal; e 5) a aparência. Atributos estes que devem ser desenvolvidos e exercitados pelo orador, assim, evoluindo paulatinamente e adquirindo experiência.

bibliografia

POLITO, Reinaldo. Oratória para advogados e estudantes de direito - São Paulo: Saraiva, 2008. Do autor do Best-Seller "Como falar corretamente e sem inibições".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.